Após a Copa... Será que as mulheres iranianas poderão entrar nos estádios?

20/07/2018

Homens e mulheres assistiram os jogos da Copa no Estádio Azadi em Teerã
Salam amigos! As notícias do Irã sempre agitam o mundo, mas desta vez estamos falando do mundo dos esportes. Após a Copa, o suspense continua... Será que agora as mulheres iranianas ganharam o direito de acessar os estádios? Uma luta que ganhou destaque na Copa do Mundo da Rússia este ano pode estar perto de terminar. 
As mulheres poderão assistir a jogos de futebol em estádios no Irã, anunciou nesta quarta-feira (18) a vice-presidente do país para assuntos de Mulher e Família, Masoumeh Ebtekar (ANSA).
Durante a Copa do Mundo, pela primeira vez em quatro décadas,  homens e mulheres assistiram juntos aos jogos em telões no Estádio Azadi em Teerã. O estádio que foi inaugurado em 1971 ainda é o maior complexo esportivo no Irã e as  mulheres podiam assistir gratuitamente aos jogos  antes da Revolução Islâmica em 1979. 
Segundo a notícia publicada no site Radio Farda, o presidente do Irã,  Hassan  Rouhani,  pediu o acesso contínuo das mulheres ao Estádio Azadi "de maneira apropriada e em cooperação com o Ministério do Interior".  
Um dia depois de se encontrar com Rouhani em Teerã, o presidente da FIFA Gianni Infantino disse a repórteres na sede da Fifa em Zurique: "Recebi a promessa de que as mulheres iranianas terão acesso aos estádios de futebol em breve. O presidente Rouhani me disse que em países como o Irã, essas coisas levam um pouco de tempo ". 
"Não deve haver nenhuma diferença entre homens e mulheres no Islã, e por essa razão as mulheres também devem ser autorizados a participar em eventos esportivos", disse Rouhani em uma reunião com os atletas iranianos em seu escritório em 22 de maio, de acordo com um comunicado divulgado pelo seu escritório. 
O debate sobre o acesso das mulheres aos estádios esportivos no Irã remonta a maio de 2006, quando o ex-presidente Mahmoud Ahmadinejad foi forçado a reverter sua decisão de permitir que as mulheres pudessem assistir as partidas de futebol. Ahmadinejad voltou atrás em sua promessa cerca de um mês antes dos jogos da seleção nacional iraniana na Copa do Mundo na Alemanha,  após comentários  do líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei e clérigos ultraconservadores. 
A abertura do Estádio Azadi para as mulheres assistirem ao jogo  Irã X Portugal em telões, também irritou o clérigo ultraconservador Ayatollah Lotfollah Safi Golpayegani que criticou o governo de Rouhani.  
Um mês antes,  mulheres proeminentes do Irã, incluindo a Prêmio Nobel Shirin Ebadi,  a comediante Shappi Khorsandi, a atriz indicada ao Oscar Shohreh Aghdashloo e a lendária cantora Googoosh em uma carta aberta, pediram que a  FIFA obrigasse o Irã a acabar com a implementação da lei não escrita discriminatória a proibição de mulheres iranianas de entrar em recintos esportivos onde  atletas masculinos competem.
Adaptado de Radio Farda

Um comentário: