Quem foi o erudito persa Ibn Sina (Avicena)

23/08/2022



Salam amigos! No Irã, no 1º dia do mês de Shahrivar no calendário persa (que este ano corresponde a 23/08 do nosso calendário) foi comemorado o Dia do Médico e também o aniversário do célebre polímata, filósofo e médico persa Ibn Sina, mais conhecido no ocidente como Avicena.

Abu Ali Ibn Sina (980-1037), foi uma das figuras mais influentes da história nos estudos sobre o corpo humano e em diversas áreas do conhecimento. Com experiência em muitos campos, da medicina e astronomia à matemática e teologia, Ibn Sina foi um polímata e também é conhecido como o pai da medicina moderna.

Nascido em Bukhara no atual Uzbequistão Ibn Sina cresceu em uma família próspera. Seu pai era um famoso governador e estudioso da região. Ainda muito jovem recebeu extensa educação no campo da ciência e filosofia. Ele era conhecido por sua memória e inteligência surpreendentes, tendo memorizado o Alcorão aos 10 anos e completado seus estudos em medicina aos 16 anos de idade.




Escreveu 450 livros sobre física, filosofia, astronomia, matemática, lógica, poesia e medicina, incluindo o famoso Canon da Medicina, publicado em 1025, que até hoje é considerado uma referência neste campo.

Ibn Sina argumentou que um período de quarentena de 40 dias era essencial para enfraquecer a propagação de infecções contagiosas. Ele chamou esse método de al-Arba’iniya, que conhecemos hoje como quarentena.

Sua segunda obra-prima é O Livro da Cura, que é considerada a maior enciclopédia escrita por um homem, uma obra-prima sobre ciência, religião e filosofia.

Aos 32 anos, ele tratou o governante do estado de buída Shams al-Dawla, e quanto este recuperou sua saúde e força, nomeou Ibn Sina  como seu vizir. Mas quando o rei faleceu, Ibn Sina recusou a oferta de seu filho que queria que ele continuasse no posto imperial. O príncipe irritado o condenou a quatro meses de prisão. Graças ao seu assistente Jurjani, ele conseguiu escapar. Após sua libertação, Ibn Sina foi para Isfahan, onde se estabeleceu sob a proteção do governante Ala al-Dawla.

Ibn Sina faleceu em 1037 em Hamadan, no Irã onde se localiza atualmente o seu mausoléu. O complexo construído em 1952, abriga um museu e biblioteca. Sua torre é inspirada na arquitetura do monumento Qonbad- e-Qabus, construído no período em que Ibn Sina viveu.


Mausoléu de Ibn Sina, em Hamedan, Irã (Foto: Nick Taylor, CC BY 2.0 )

A influência de Ibn Sina foi tamanha que o  famoso poeta italiano Dante Alighieri mencionou seu nome em sua peça  A Divina Comédia no século XIV. Além disso, o retrato de Ibn Sina ainda é encontrado nas paredes de muitas faculdades de medicina em toda a Europa, uma cratera na lua leva seu nome e vários países cunharam dinheiro, selos e medalhões em comemoração a este grande erudito persa.


📚 Dicas de livros:

O Intelecto em Ibn Sina (Avicena) (2018)

Nenhum comentário:

Postar um comentário