Tirgân: Festival da Chuva

04/07/2021

Tirgan - Festival da Chuva

Salam amigos! Hoje os iranianos celebram o festival de Tirgan também conhecido como Jashn-e Tirgân, ou "Festival da Chuva"

Esta  tradição faz parte do  zoroastrismo, a religião ancestral do Irã, mas ainda hoje é revivida pelo povo iraniano no dia 13 do mês de Tir, (o quarto mês do calendário persa), que equivale a 2, 3 ou 4 de julho de nosso calendário. 

A origem mitológica do Tirgan 


O nome do festival vem do arcanjo, Tir (cujo nome significa "flecha") ou Tishtrya  (que no antigo persa significa "relâmpago"), o guardião das tempestades e trovões que trazem as chuvas tão necessárias que aumentam a colheita e evitam a seca durante o verão árido do Irã.

Segundo a mitologia persa, foi neste dia que o arcanjo Tishtrya , lutou contra o demônio causador das secas Apush (ou Apaosha). Tishtrya  tinha o incrível poder de mudar de aparência. Nos primeiros dez dias do mês,  aparecia como um belo jovem, depois, na metade do mês como um touro e, finalmente, durante os últimos dez dias do mês, tornava-se um cavalo branco. 

Tishtrya  foi para o oceano celestial e lutou contra Apush uma figura horrível, geralmente representando por um cavalo negro e feroz. A batalha continuou por três dias até que no final, Tishtrya  derrotou o demônio e assim teve fim o período das secas. 

Tishtrya Vs. Apaosha
O arcanjo Tishtrya (Tir) transformado em um cavalo branco luta contra o demônio Apusha (Apaosha)


A lenda do arqueiro Arash 


Há também uma outra lenda que associa o nome da celebração ao herói persa Arash, o arqueiro (Arash Kamangir).

Segundo essa lenda, houve uma guerra entre os reinos do Irã e Turan, o vizinho do norte, como resultado de uma disputa de fronteira. 

A batalha durou 9 dias, então ambos os reinos fizeram um tratado de paz. O arcanjo da terra, Sepandarmaz, escolheu Arash, o melhor entre os arqueiros persas para demarcar as fronteiras entre os reinos. O arcanjo disse a ele que quanto mais longe ele atirasse a flecha, maiores seriam as terras de seu  país.

No 13º dia do mês persa de Tir,  Arash  escalou o  Damavand, a montanha mais alta do Irã, e disparou sua flecha que caiu nas margens do rio Oxus. Assim, foram definidas as fronteiras entre os dois reinos. Mas após atirar a flecha, Arash perde toda a sua força e morre, por isso é considerado um herói que se sacrificou por seu país.

Diz a lenda que, assim que a disputa fronteiriça foi resolvida, a chuva começou a cair em ambas as terras, que sofriam com uma seca de oito anos. Por este motivo, neste dia, o dia 13 do mês de  Tir , os iranianos celebram o "Festival da Chuva".

Arash Kamangir
No 13º dia do mês persa de Tir,  Arash  escalou o  Damavand, a montanha mais alta do Irã, e disparou sua flecha


O Festival de Tirgan na História 

Para os antigos persas, cada dia do mês tinha um nome especial, relacionado a uma divindade, e quando este dia tinha o mesmo nome do mês, eles o celebravam. Portanto, o 13º dia do mês de Tir, era dedicado ao arcanjo  Tir ou Tishtrya , e essa celebração  foi chamada de Tirgan.

Abu Reyhan Al-Biruni,  famoso estudioso e polímata iraniano, acredita que neste dia o planeta Mercúrio,  que é o símbolo da escrita, aparece no céu.  E segundo a mitologia persa,  neste dia, os escritores foram aceitos na corte do rei mítico Hushang.

Atualmente, este dia também é lembrado como o "Dia dos Escritores" no Irã.

Costumes e Tradições do Tirgan 

As celebrações de Tirgan têm diversos costumes e tradições que variam de acordo com cada região do Irã. Entre estes costumes  podemos citar:

 Dastband-e tir o bâd  (pulseira de Tir e vento): 

Um das tradições desta época é amarrar fitas da cor do arco-íris em torno dos pulsos durante os dez dias antecedentes e depois soltá-la ao vento, fazendo um pedido.

Dastband-e tir o bâd: ritual da pulseira de Tirgan

 Âb Pâshi ( jorro de água):

 Neste dia as pessoas se reúnem nos parques ou próximas a rios e fontes e jogam água umas nas outras e desejam "um ano abençoado pelas chuvas". 



 Fâl-e Kuzeh (adivinhação do jarro):

Este é um costume exclusivo das mulheres! Um dia antes de Tirgan, uma garotinha é escolhida para carregar um jarro cheio de água, onde as pessoas colocam alguns pequenos objetos como anéis, broches, moedas, etc. Este jarro deve ficar embaixo de uma árvore até o dia de Tirgan, quando de acordo com o costume a menina retira objetos de dentro do jarro enquanto as mulheres adultas cantam e atribuem uma adivinhação a cada objeto.

Fâl-e kuzeh: ritual de ler a sorte no jarro de água


As comidas típicas do festival de Tirgan são  sopa de espinafre, ash reshteh (sopa de macarrão com feijão e ervas) e sholeh zard (pudim de arroz com açafrão). 

Tirgan pelo mundo 

Neste dia os iranianos também celebram com músicas, danças, poesias. Fora do Irã há um mega festival bienal em Toronto no Canadá chamado Tirgan Festival que reúne a comunidade iraniana no país, artistas famosos, além de diversas apresentações culturais. 

🔗  Fontes:  

🎞 VEJA SOBRE O FESTIVAL DE TIRGAN EM 1 MINUTO: 


  ------------------------------------------------------------------------------------
Desde 2012, o blog Chá-de-Lima da Pérsia, é a única fonte em língua portuguesa dedicada exclusivamente a divulgação da cultura do Irã. 
Se você considera o nosso trabalho importante, você pode nos apoiar fazendo uma doação: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário