Linkagens: A Copa do Mundo e os protestos no Irã

19/11/2022


Salam amigos! A partir deste domingo com a estreia da  Copa do Mundo no Qatar, eu gostaria de trazer como sempre fiz em anos anteriores, as linkagens de notícias sobre os atletas iranianos e seu desempenho no mundial. Mas como estamos consternados pelos protestos no Irã que continuam há quase 2 meses, vou tentar trazer resumos de algumas notícias mais recentes do Irã na Copa porém, dialogando com o momento atual. 



"Jogadores do Irã enviam condolências às famílias de vítimas em manifestações no país"


O meio-campista iraniano Vahid Amiri e o goleiro Hossein Hosseini em coletiva, em Doha (Crédito: Fadel Senna/ AFP)

Dois jogadores iranianos que vão participar do Mundial do Qatar enviaram, neste sábado (19), suas condolências às famílias das vítimas que morreram nos protestos violentos que ocorrem no país e manifestaram "a sua solidariedade".

"Gostaria que soubessem que estamos ao seu lado", disse o goleiro substituto Hossein Hosseini em entrevista coletiva em Doha, dois dias antes do Irã estrear no torneio contra a Inglaterra, correspondente ao grupo B. Por sua vez, o atacante Vahid Amiri, também expressou sua "solidariedade às famílias que perderam seus entes queridos".

Vários jogadores da seleção iraniana expressaram seu apoio ao levante nas redes sociais, usando braçadeiras pretas durante as partidas ou se recusando a cantar o hino nacional. A estrela do 'Team Melli', Sardar Azmoun, manifestou seu apoio ao movimento de protesto em diversas mensagens nas redes sociais e denunciou a repressão em seu país.

Fonte: R7 (publicado em 19/11/22)


"Entenda como os protestos no Irã afetam a seleção na Copa do Mundo"


Seleção do Irã no amistoso contra o Senegal em Viena, Áustria, em setembro. (Crédito: Johannes Friedl/ GEPA / PANORAMIC)

A seleção do Irã disputará a Copa do Mundo do Catar em meio a um cenário de caos interno no país. Com parte da população nas ruas protestando, o debate sobre a violência e a restrição de direitos das mulheres promovidas pelo governo divide espaço com o futebol.

No amistoso contra Senegal no fim de setembro, todos os atletas entraram para a cerimônia de hino nacional com agasalhos pretos que cobriam a camisa de jogo. Isso aconteceu enquanto manifestantes protestavam do lado de fora do estádio em que acontecia a partida em Viena. Os nomes de Karimi e Azmoun foram cantados pelos manifestantes, que também cobraram por justiça por Mahsa Amini.

Os protestos também geraram impactos internos na seleção. Os jogadores iranianos foram instruídos a permanecer em silêncio sobre o tema e serem "apolíticos". A FIFA encorajou que os atletas de todos os países foquem no futebol e não em questões políticas. No entanto, a ordem foi ignorada pelo meio campista Ali Karimi e pelos atacantes Sardar Azmoun e Mehdi Taremi, que se manifestaram a favor dos protestos em suas redes sociais.

Já o atacante iraniano Alireza Jahanbakhsh se posicionou contra as constantes perguntas da imprensa sobre os protestos em uma entrevista coletiva. "Estamos a 4 dias do maior jogo de nossas vidas, todos estão pensando nisso. (...) Todos nós só estamos pensando e falando sobre futebol. Essa é a minha resposta e de todos os jogadores que estão representando o Irã" - afirmou o jogador.

Fonte: O Globo  (publicado em 17/11/22)

"Técnico do Irã diz que jogadores podem protestar na Copa seguindo as regras da FIFA" 


Carlos Queiroz, técnico da Seleção do Irã (Crédito: Reuters/Suhaib Salem)

De acordo com a Reuters, o técnico Carlos Queiroz declarou: “Os jogadores são livres para protestar como o fariam se fossem de qualquer outro país, desde que isso esteja de acordo com os regulamentos da Copa do Mundo e dentro do espírito do jogo”.

Ainda segundo a Reuters, durante a entrevista coletiva Queiroz se envolveu numa discussão acalorada com um repórter do canal britânico Sky, que perguntou: “Tudo bem para você representar na Copa do Mundo um país como o Irã, que reprime os direitos das mulheres?” O treinador português respondeu: “Quanto você está me pagando para responder a essa pergunta?… Não coloque palavras na minha boca”.“Acho também que você deveria começar a pensar no que aconteceu com os imigrantes na Inglaterra. Pense nisso”.

Queiroz convocou o astro Sardar Azmoun para integrar a seleção do Irã na Copa, apesar de seus comentários públicos de apoio aos protestos contra o governo. Azmoun fez diversos posts nas redes sociais em apoio às manifestações lideradas por mulheres.

Fonte: CNN Brasil (publicado em 15/11/22)


"Ídolo do futebol iraniano se recusa a participar da Copa do Mundo por conta de protestos no Irã"


Ali Daei, ídolo do futebol iraniano durante o sorteio da  FIFA Qatar 2022 (Crédito: Marcio Machado/Eurasia Sport Images/Getty Images)

De acordo com  notícia do site CNN Brasil, o maior artilheiro da Seleção Iraniana de Futebol, Ali Daei, disse na última segunda-feira (15) que recusou o convite para participar da Copa do Mundo, que acontece no Catar, em “solidariedade” às manifestações que ocorrem no Irã.


“Respondi não ao convite oficial da FIFA e da Federação de Futebol do Catar para participar da Copa do Mundo, com a minha esposa e filhas, para estar com vocês na minha terra natal e expressar a minha solidariedade a todas as famílias que perderam seus entes queridos nestes dias”, disse ele.


Daei tem sido um defensor dos protestos que ocorrem em todo o Irã, que eclodiram quando Mahsa Amini, de 22 anos, morreu em setembro depois de ser detida pela polícia local.


O ex-jogador iraniano de 53 anos marcou 109 gols pelo Irã entre 1993 e 2006, e tinha o recorde de jogador com mais gols por uma seleção, que foi quebrado pelo por Cristiano Ronaldo no ano passado.


Fonte: CNN Brasil (publicado em 15/11/22)


O Irã estreia na Copa 2022 na segunda-feira 21/11 contra a Inglaterra, às 10h. Na história das Copas o Irã nunca se classificou para as eliminatórias. Alguém arriscaria um palpite? 


 PARTIDAS DO IRÃ NA COPA DO MUNDO (Grupo B) 




Nossa maior torcida é pelo futuro do Irã...


Apesar de o governo ter restringido a internet e os aplicativos de mídias sociais no Irã, continuo a acompanhar nas redes sociais, meu amigos iranianos (aqueles que conseguem utilizar VPN) a compartilhar diariamente seus stories de protesto e no momento atual, não é raro encontrar postagens sobre a Copa em persa, com comentários que expressam o desânimo em torcer pelo futebol e sua seleção nacional diante dos acontecimentos recentes. 


Venho como sempre expressar toda minha solidariedade à luta do povo iraniano e que assim que a competição acabar, independente de qual seja o resultado dos jogos, que seus atletas e astros do futebol continuem dando voz ao desejo de seus compatriotas por mais liberdade e justiça!  


E você, o que acha sobre a participação do Irã na Copa do Qatar?  Deixe um comentário! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário